terça-feira, 1 de novembro de 2016

Rolos do Mar Morto - Regra Comunitária




Regra Comunitária ou Manual da Disciplina

A Regra Comunitária (hebraico Serekh ha-Yahad), que é codificado por 1QS (que significa: "Caverna 1 / Qumran / Serekh = 'regra'") e também referido como o Manual de Disciplina, foi um dos primeiros pergaminhos descobertos nas cavernas perto de Khirbet (ruína de) Qumran.

O manuscrito mais completo da Regra Comunitária foi encontrado na Gruta 1, e foi chamado preliminarmente de "Manual de Disciplina" por Millar Burrows (1889-1980, primeiro tradutor dos manuscritos de Qumran). Numerosos outros fragmentos deste documento, contendo leituras variantes, foram encontrados nas cavernas 4 e 5 (4QSa-j, 5Q11). Dois outros documentos, conhecidos como a Regra da Congregação (1QSa) e a Regra da Bênção (1QSb), estão escritos no mesmo pergaminho do 1QS e, por isso, pensou-se inicialmente que fariam parte do texto da Regra Comunitária, mas chegou-se à conclusão que são composições separadas (apesar de estarem escritas no mesmo suporte físico).

O 1QS tem os seguintes conteúdos:
- Definição dos ideais da comunidade;
- Ritual e cerimónia para entrar na comunidade;
- Regras para a renovação anual do pacto;
- Necessidade de conversão;
- Crenças dualistas (luz/escuridão);
- Colecções de regras, juramentos e regras que regem a administração, repreensão e presença sacerdotal;
- Referências a um verdadeiro templo espiritual (isto é, comunidade) estabelecido no deserto (líder sábio, calendário litúrgico);
- Hino de louvor (à criação, semelhante a um Agradecimento).

Apesar de o documento não ser cristão, ele é importante para o estudo do cristianismo primitivo. A comunidade que o produziu tinha fé numa salvação entre os descendentes de Arão (através de Zadok), enquanto que o cristianismo moderno foi desenvolvido em torno da ideia de um salvador descendente do Rei David.

Os membros da comunidade são referidos como "Filhos da Luz" e a doutrina defende que todos os homens nascem para combater a batalha entre a Luz e a Escuridão. O líder da batalha pela Luz é chamado Príncipe da Luz (compare-se com o que Paulo diz em 2 Coríntios 11:14, "Satanás disfarça-se de Anjo de Luz") e o líder da Escuridão é chamado Belial (inútil, sem valor).

Para além de Príncipe da Luz, também é referido um Anjo de Sua Verdade. Ambos os termos podem ser referência a um semi-deus (porque os anjos são referidos como criaturas semi-divinas) que seria adorado como salvador intermediário de Deus. No cristianismo este papel foi atribuido a uma personagem chamada Jesus.

Os líderes da comunidade são referidos como Filhos de Zadok - identificando-se claramente como saduceus. Isto contradiz a ideia de que a comunidade de Qumran seria composta por essénios.

Os membros são convidados a doar toda a sua riqueza à comunidade quando se filiam nela (compare-se com o episódio de Actos, em que Pedro repreende severamente um casal por ter doado apenas parte da sua fortuna).

Algumas ideias ou expressões que hoje associamos ao cristianismo estão presentes neste documento:
- Uma expressão que se encontra em Apocalipse 21 "... 'Ele faz novas todas as coisas'
- Uma referência a uma eucaristia: " uma bênção sobre a primeira porção do pão e do vinho
- Uma referência a Isaías, utilizada também por João Baptista em Marcos 1:1-3: "Preparai no deserto ... fazei recta no ermo uma estrada para o nosso Deus"

Conclusão: a colectividade de Qumran que produziu este rolo "Regra da Comunidade" tinha uma teologia semelhante à que foi adoptada pelo cristianismo.
Isto mostra que o cristianismo foi uma ramificação do judaísmo que se foi separando lentamente do tronco principal da religião dos judeus. Não teve necessidade de um fundador revolucionário - Jesus - como é alegado na narrativa corrente do cristianismo.


Vejamos algumas partes do texto:
Regra Comunitária (Serekh ha-Yahad)
Do Compromisso.
Todos os que desejam fazer parte da comunidade devem comprometer-se a respeitar Deus e o Homem; viver de acordo com a regra comum: buscar a Deus, fazer o que é bom e justo aos Seus olhos, de acordo com o que ele ordenou através de Moisés e através de Seus servos, os profetas; a amar tudo o que Ele escolheu e odiar tudo o que Ele rejeitou; manter-se longe do mal e agarrar-se a todas as boas obras; agir com verdade e rectidão e justiça na terra e não mais andar na teimosia de um coração culpado e de olhos que cobiçam o proibido, fazendo todo o mal; trazer para um vínculo de amor mútuo todos os que declararam sua vontade de realizar os estatutos de Deus; para fazer parte da comunidade formal a Deus; para andar sem culpa diante Dele em conformidade com tudo o que foi revelado como relevantes para os vários períodos durante os quais devem dar testemunho (a ele); a amar todos os Filhos da Luz, cada um de acordo com a medida de sua culpa, que Deus acabará por retribuir. 
Todos os que manifestam a sua disponibilidade para servir a verdade de Deus devem trazer toda a sua mente, toda a sua força, e toda a sua riqueza para a comunidade de Deus, de modo que suas mentes possam ser purificadas pela verdade de seus preceitos, sua força controlada por Seus caminhos perfeitos, e sua riqueza colocada à disposição de acordo com Seu justo designio. [...]. 
Da Iniciação.
Além disso, todos os que se juntarem às fileiras da comunidade devem entrar numa aliança na presença de Deus para fazer de acordo com tudo o que Ele ordenou e não se afastar Dele através de qualquer medo ou terror ou através de qualquer julgamento a que possam ser submetidas através do domínio de Belial
[...]
Da revisão anual. 
O procedimento a seguir deve ser seguido de ano para ano, uma vez que Belial continua a prevalecer.
Os sacerdotes são os primeiros a ser revistos na devida ordem, um após o outro, no que respeita ao estado de seus espíritos. Depois deles, os levitas serão de igual modo examinados, e em terceiro lugar os leigos, um após o outro, nos seus milhares, centenas, grupos de cinqüenta e de dez. O objectivo é cada homem em Israel ficar ciente de seu estatuto na comunidade de Deus, no sentido da sociedade ideal e eterna, e que ninguém seja humilhado abaixo do seu estatuto nem exaltado acima de seu lugar atribuido. Todos eles, assim, serão membros de uma comunidade fundada em valores verdadeiros e sobre o sentido da humildade, da caridade e justiça mútua - membros de uma sociedade verdadeiramente consagrada, parceiros de uma comunhão eterna. 
[...] 
Dos dois espíritos no homem. 
Isto é para o homem que traz outros para a visão interna, de modo que ele possa compreender e ensinar a todos os Filhos da Luz a verdadeira natureza dos homens, tocando as diferentes variedades de seus temperamentos com os traços distintivos dos mesmos, tocando suas ações ao longo das suas gerações, e tocando a razão pela qual ora são visitados por aflições ora desfrutam de períodos de bem-estar. 
Tudo o que é e sempre foi vem de um Deus de conhecimento. Antes de as coisas virem à existência Ele determinou o plano delas; e quando elas cumprem seus papéis atribuidos, é de acordo com o Seu desígnio glorioso que que desempenham as suas funções. Nada pode ser alterado. Na Sua mão está o governo de todas as coisas. Deus é que sustenta-as em suas necessidades. 
Ora, este Deus criou o homem para governar o mundo, e deesignou para ele dois espíritos em cuja direcção ele deverá caminhar até a Inquisição final. Eles são os espíritos da verdade e da perversidade. 
A origem da verdade está na Fonte da Luz, e a da perversidade está no Poço da Escuridão. Todos os que praticam a justiça estão sob o domínio do Príncipe das Luzes e andam nos caminhos de luz; enquanto todos os que praticam a perversidade estão sob o domínio do Anjo da Escuridão, no entanto, mesmo aqueles que praticam a justiça são passíveis de erro. Todos os seus pecados e iniqüidades, toda a sua culpa e seus actos de transgressão são o resultado de seu domínio; e este, por imperscrutável desígnio de Deus, continuará até o tempo determinado por Ele. Além disso, as aflições de todos os homens e todos os seus momentos de tribulação são devido à influência maléfica deste ser. Todos os espíritos que alinham por ele estão empenhados em fazer tropeçar os Filhos da Luz. Todavia, o Deus de Israel e o anjo da Sua verdade estão sempre lá para ajudar os Filhos da Luz. Foi Deus quem criou esses espíritos de luz e escuridão e fez-lhes a base de cada acto, os [instigadores] de todos os actos e a direcção e os directores de cada pensamento. O que Ele ama é para toda a eternidade, e está sempre satisfeito com seus actos; mas qualquer associação com o que Ele abomina, Ele odeia todas as suas formas até ao fim dos tempos. 
[...]
Mas ao espírito de perversidade pertencem a ganância, a negligência em fazer o certo, a maldade e falsidade, o orgulho e presunção, decepção cruel e dolo, insolência abundante, falta de paciência e profusão de loucura, paixão arrogante, actos abomináveis num espírito de lascívia, formas sujas no cativeiro de incastidade, uma língua blasfema, a cegueira dos olhos, apatia dos ouvidos, rigidez do pescoço e dureza de coração, a fim de que um homem caminha inteiramente em caminhos das trevas e da astúcia do mal. A recompensa de todos os que andam em tais caminhos são múltiplas aflições nas mãos de todos os anjos da destruição, perdição eterna através da ira de um Deus vingativo, horror eterno e perpétuo desprezo, a desgraça da aniquilação final no fogo, escuridão através das vicissitudes da vida em todas as gerações, amargura triste, infortúnio amargo e ruína sombria - terminando em extinção sem traço de sobrevivência. 
É para essas coisas que todos os homens nascem, e é para estes que todo o exército deles são herdeiros pelas suas gerações. É dessa maneira que as necessidades dos homens devem andar e é nestas duas divisões, de acordo como um homem herda algo de cada um, que todos os actos humanos são divididos ao longo de todas as eras da eternidade. Pois Deus designou essas duas coisas para obter em igual medida até à era final.
Entre as duas categorias Ele estabeleceu uma inimizade eterna. 
[...] 
Até agora, os espíritos da verdade e da perversidade têm disputado o coração do homem. Homens têm andado tanto em sabedoria como em loucura. Se um homem lança a sua parte com verdade, ele faz justiça, e odeia a perversidade; se ele lança com perversidade, ele faz com maldade e abomina a verdade. Porque Deus os designou, em igual medida até o tempo final, até que 'Ele faz novas todas as coisas' [Apocalipse 21 !!!!]. Ele conhece o efeito de suas obras em todas as épocas do mundo, e Ele fez homens herdeiros para eles que eles possam conhecer o bem e o mal. Mas [quando o tempo] da Inquisição [vier], Ele irá determinar o destino de cada ser vivo, de acordo com qual dos [dois espíritos escolheu para seguir]. 
Das relações sociais. 
Esta é a regra para todos os membros da comunidade - isto é, para tal, como declararam a sua disponibilidade para se afastar de todo o mal e aderir a todos que Deus, em Sua boa vontade ordenou.
Eles se apartarão da companhia do perverso.
Eles pertencerão à comunidade, tanto doutrinal como em sentido económico.
Eles respeitarão as decisões dos filhos de Zadok, sendo os mesmos sacerdotes que ainda mantêm o Pacto, e da maioria da comunidade que se mantém firme nele. É pelo voto de tais que todas as questões doutrinárias, económicas e judiciais são determinadas. 
[...]

Da obrigação de santidade. 
E esta é a maneira em que todas as ordenanças devem ser aplicadas numa base colectiva.
Todo aquele que é admitido na organização formal (Conselho) da comunidade entram num pacto de Deus na presença de todos os companheiros-voluntários na causa e se comprometem por um juramento de obrigação a retornar, com todo o coração e alma, aos mandamentos da Lei de Moisés, como Lei revelada aos filhos de Zadok, isto é, aos sacerdotes que ainda mantêm o Pacto e buscam a vontade de Deus - e a maioria dos seus colegas de aliança que se voluntariaram em conjunto para aderir à verdade de Deus e de andar de acordo com a Sua vontade. 
[...]
Dos deveres comuns. 
Este são os procedimentos que todos os membros da comunidade deverão seguir em todas as relações com os outros, onde quer que eles habitam.
Todos obedecerão a seu superior em grau em todos os assuntos de trabalho e dinheiro. Mas todos jantarão juntos, adorarão juntos e irão juntos a conselho.
Onde quer que haja dez homens que formalmente matriculados na comunidade, aquele que é sacerdote não deve afastar-se deles. Quando eles se sentam na sua presença, devem tomar os seus lugares de acordo com seus respectivos graus; e essa mesma ordem deve ser seguida quando se reunem para conselho.
Quando eles põem a mesa para uma refeição ou preparam vinho para beber, o sacerdote é o primeiro a estender a mão para invocar uma bênção sobre a primeira porção do pão e do vinho.
Em qualquer lugar onde estejam dez desses homens, não deverá estar ausente aquele que estará disponível em todos os momentos, dia e noite, para interpretar a Lei (Torah), cada um deles fazendo por sua vez.
Os membros gerais da comunidade devem manter-se acordados por um terço de todas as noites do ano para leitura dos livros, [ou o livro da lei], estudando a Lei e adorando juntos. 
[...]
Da designação de "presbíteros". 
No conselho deliberativo da comunidade haverá doze leigos e três sacerdotes educados para a perfeição em tudo o que foi revelado pela Lei. Seu trabalho será definir o padrão para a prática da verdade, rectidão e justiça, e para o exercício da caridade e humildade nas relações humanas; e para mostrar como, pelo controle do impulso e contrição de espírito, a fidelidade pode ser mantida na terra; como, por exercício activo da justiça e por submissão passiva ao julgamento de castidade, a iniqüidade pode ser eliminada, e como se pode caminhar com todos os homens com a qualidade da verdade e na conduta apropriada para cada ocasião.
[...] 
Quando existem esses homens em Israel, deve haver disposição para que sejam conservados apartados de qualquer contacto com homens perversos, a fim de que eles possam de facto "ir para o deserto para preparar o caminho", ou seja, fazer o que a Escritura ordena quando diz: 'Preparai no deserto ... fazei recta no ermo uma estrada para o nosso Deus "[Isaías 40: 3]
[...]


Referência: http://www.essene.com/History&Essenes/md.htm


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...