terça-feira, 19 de julho de 2016

O Épico de Atrahasis - Um dilúvio ainda mais antigo





O Épico de Atrahasis

A Epopeia de Atrahasis é a mais extensa narrativa mesopotamica sobre um grande dilúvio. Aqui o herói chama-se Atrahasis que recebe, por meio de um sonho, um aviso sobre o dilúvio.

Atrahasis ("extremamente sábio") é o protagonista deste épico acádico que inclui tanto o mito da criação como o mito do dilúvio.

Resumo do texto:
A história de Atrahasis começa antes do tempo dos humanos. Na narrativa, o universo é dividido entre os três deuses maiores dos Annunaki (ou Annuni):
 - Annu, o pai e rei dos deuses, que domina o sol e os céus;
 - Enlil, que domina a terra; e
 - Enki, que governa os mares e as águas subterrâneas. 
Também existem uma série de divindades menores, os Igigi, que são responsáveis ​​pela manutenção da Terra e, em particular, para cavar os rios Tigre e Eufrates. Sob a carga de trabalho duro, os Igigi rebelam-se e sugerem criar seres humanos para cuidar da terra para eles, bem como para fornecer os deuses com o sustento através das oferendas de grãos, vinho e sacrifícios animais. 
Este plano funciona bem no início, mas, eventualmente, os seres humanos multiplicam-se, e começam a fazer muito barulho como consequência do aumento da população. O deus da Terra, Enlil, não suporta o distúrbio e decide eliminar a fonte do ruído, destruindo toda a humanidade.
Em primeiro lugar, Enlil envia uma praga, mas seu plano é frustrado pelo mais inteligente do povo, Atrahasis. Este é assistido por Enki, que é favorável à humanidade. Atrahasis mostra às pessoas como derrotar a praga - sacrificando ao deus específico que Enlil encarregou da propagação da doença mortal. De forma semelhante, ele leva as pessoas a derrotar as tentativas de Enlil para matar seres humanos por seca e fome. 
Finalmente, Enlil propõe a inundar o mundo e afogar todos os seres humanos ruidosos. Desta vez, ele obriga todos os deuses a jurar que vão aderir ao plano, a não advertirem Atrahasis, e não se deixarem influenciar por oferendas ou sacrifícios. Enki consegue avisar Atrahasis sem tecnicamente quebrar o seu juramento; ele entrega a mensagem para as paredes da casa Atrahasis, onde Atrahasis não pode deixar de ouvir. Atrahasis constrói um barco para ele, sua família e os animais. Toda a terra é inundada por sete dias e noites; somente aqueles a bordo do barco sobrevivem. 
Enquanto Enlil alívia-se do barulho da humanidade, o dilúvio não é uma experiência positiva para os deuses. Ficam chocados com a carnificina e passam fome até ao final dos sete dias, uma vez que não há ninguém para sacrificar para eles, pelo menos até Atrahasis deixar seu barco e retomar o culto. Os deuses resolvem deixar a humanidade permanecer na Terra, mas Enlil, numa tentativa de manter uma população reduzida, decreta que, a partir de agora, um terço de todas as crianças morreriam. Os deuses consideraram também impedir vários tipos de sacerdotizas de terem filhos.

A Epopeia de Atrahasis encontra-se, entre outros achados arqueológicos, em tábuas consevadas no British Museum. A versão mais antiga que se conhece remonta ao século XVII a.C. sendo possivelmente mais antiga do que o épico de Gilgamesh e seguramente mais antiga do que a versão bíblica do dilúvio.

Texto (a partir de uma tradução em inglês):

[As queixas dos Deuses Menores]
Quando os deuses eram homem, eles fizeram trabalho forçado, eles suportaram trabalho penoso. Grande, em verdade, foi a labuta dos deuses, o trabalho forçado era pesado, a miséria demais:
os sete grandes deuses Anunna sobrecarregaram os deuses Igigi [menores] com trabalho forçado. 
[...]
Os deuses escavaram cursos de água, canais eles abriram, a vida da terra. O deuses Igigi escavaram cursos de água, canais eles abriram, a vida da terra. Os Igigi escavaram o rio Tigre e, a seguir, o Eufrates. Nascentes abriram das profundezas, poços ... eles estabeleceram.
...
Eles amontoaram todas as montanhas. 
[...] 
... Anos de trabalho penoso.
... o vasto pântano.
Eles contaram anos de trabalho penoso ... E quarenta anos, demais! ... Trabalho forçado eles suportaram noite e dia. Eles reclamaram, denunciaram, murmurando lá em baixo, na vala:
"Vamos confrontar o nosso contramestre, o prefeito, para que tire o pesado fardo sobre nós! Enlil, conselheiro dos deuses, o guerreiro, vamos, vamos removê-lo da sua habitação; Enlil, conselheiro dos deuses, o guerreiro, vamos, vamos removê-lo de sua morada! "
[...] 
"Agora eles, chamemos para a batalha, em batalha nos juntemos, em guerra! "
Os deuses ouviram as palavras deles: eles incendiaram as suas ferramentas, puseram fogo nos seus espaços, e chama nos seus cestos de trabalho.
Eles partiram, todos e cada um, à porta da morada do guerreiro Enlil.
...
[Insurreição dos Deuses Menores]
Era noite, a meio da vigília, a casa foi cercada, mas o deus não sabia. Era noite, a meio da vigília, Ekur foi cercado, mas Enlil não sabia! 
[...] 
Os grandes Deuses mandam um mensageiro. Nusku abriu a porta, tomou suas armas e foi ... Enlil. 
Na assembleia de todos os deuses, ele se ajoelhou, levantou-se, expôs o comando,
"Anu, seu pai, seu conselheiro, o guerreiro Enlil, o prefeito, Ninurta, e o seu oficial de justiça Ennugi enviou-me para dizer:
"Quem é o instigador desta batalha? Quem é o instigador destas hostilidades? Quem declarou a guerra, essa batalha que foi executada até o portão de Enlil?
Dentro ... ele transgrediu a autoridade de Enlil. " 
"Cada um de nós deuses declarou guerra;
...
Criámos ... a escavação, a labuta excessiva nos matou, o nosso trabalho forçado era pesado, a miséria demais!
Agora, todos nós deuses resolvemos acertar contas com Enlil. "
Os grandes deuses decidem criar o homem, para aliviar os deuses menores de sua miséria.
[Propostas de Ea, Belet-ili, e Enki] 
Ea disse aos deuses, seus irmãos:
"Onde é que vamos colocar a sua carga? Seu trabalho forçado era pesado, sua miséria demais! Todos os dias ... o clamor era alto, podíamos ouvir o clamor. "
Há sim ...
Belet-ili, a parteira, está presente.
"Deixe que ela crie, então, um ser humano, um homem, Que ele suporte o jugo! Deixá-lo suportar o jugo! Que o homem assuma a maçada dos deuses."
Belet-ili, a parteira, está presente.
"Deixemos a parteira criar um ser humano! Que o homem assuma a maçada dos deuses." 
Eles convocaram e perguntaram à deusa, a parteira dos deuses, sábia Mami:
"Você vai ser a deusa do nascimento, criadora da humanidade? Criar um ser humano, que suporte o jugo, deixá-lo suportar o jugo, a tarefa de Enlil, Que o homem assuma a maçada dos deuses".
Nintu preparou-se para falar, e disse aos grandes deuses:
"Não é para mim fazê-lo, a tarefa é de Enki. Esse é o que purifica tudo, que ele me forneça o barro para que eu possa fazer a criação". 
Enki disse aos grandes deuses:
"No primeiro, sétimo, e ao dia quinze do mês, deixem-me estabelecer uma purificação, um banho. Que um deus seja abatido e, em seguida, que os deuses se purifiquem por imersão. Que Nintu misture barro com sua carne e sangue.
Deixe esse mesmo deus e homem seja completamente misturados no barro.
Vamos ouvir o tambor para o resto do tempo.
A partir da carne do deus deixemos o espírito permanecer, deixar o vivo saber o seu sinal, para que não seja esquecido, deixemos o espírito permanecer."  
Os grandes deuses Anunna, que administram destinos, responderam "sim!" na assembleia. 
[A Criação do Homem]
No primeiro, sétimo, e ao dia quinze do mês, estabeleceu-se uma purificação, um banho. Abateram Aw-ilu, que teve a inspiração, na assembleia.
Nintu misturou barro com sua carne e sangue.
Esse mesmo deus e homem foram completamente misturados no barro.
Para o resto do tempo eles iriam ouvir o tambor.
Da carne do deus o espírito permaneceu. Faria os vivos saberem o seu sinal, para que não seja esquecido, o espírito permanece.
Depois de misturar o barro, ela convocou os grandes Anunna.
Os Igigi e os grandes deuses, cuspiram no barro. 
Mami disse aos grandes deuses:
"Vocês me ordenaram a tarefa e eu a conclui!
Vocês abateram o deus, juntamente com sua inspiração. Eu afastei o vosso trabalho forçado pesado, Eu transferi o vosso trabalho penoso para o homem.
Eis que depositaram clamor sobre a humanidade.
Eu liberei o jugo, eu fiz a restauração ".
Eles ouviram este discurso dela, corriam, livres de cuidados, e beijaram os seus pés, dizendo:
"Anteriormente nós costumávamos chamá-la Mami,
agora deixe o seu nome ser Belet-kala-ili (Amante de todos os deuses)! "

[A população aumenta e seu ruído perturba os deuses, que decidem acabar com a humanidade. O deus Enki, no entanto, envia um sonho de Atrahasis.] 
[O sonho de Atrahasis]
Enlil cometeu uma má ação contra o povo.  
Atrahasis disse ao seu senhor:
"Faça-me saber o significado do sonho. Deixe-me saber, para que eu possa olhar para a sua consequência. "
Enki disse ao seu servo:
"Tu podes dizer: 'Tenho de olhar para fora, enquanto estou no quarto?'
Presta atenção ao que digo:
'Parede, escuta-me! Parede, presta atenção a todas as minhas palavras!
Foge da casa, constrói um barco, abandona posses, e salva a vida.
O barco que construirás
... Será igual ...
...
...
Põe-lhe uma cobertura para que o sol não se veja lá dentro. Que seja coberto por cima, de frente e para trás.
A construção deve ser forte, o betume deve ser firme, e assim dar a resistência ao barco.
Vou fazer chover sobre vocês mais tarde uma colheita de aves, uma série de peixes. ' "
Ele abriu o relógio de água e encheu-o, e anunciou os sete dias de dilúvio.

[Atrahasis e os anciãos] 
Atrahasis recebeu o comando.
Ele reuniu anciãos no seu portão e disse:
"Meu Deus não concorda com o vosso deus, Enki e Enlil estão constantemente irritados um com o outro. Eles nos expulsam da terra. Como desde sempre reverencio Enki, ele me contou isso. Eu não posso viver em ... também não posso fixar meus pés na terra de Enlil. Eu vou morar com meu deus nas profundezas. Isso ele me disse: ... "
[Construção e Embarque na Arca]
Os anciãos ...
O carpinteiro levou seu machado, o pedreiro levou sua pedra, o homem rico carregou o betume, o homem pobre trouxe os materiais necessários. 
[...]
Trazendo ... tudo o que ele tinha ...
Tudo o que ele tinha ... animais puros que abatia, gado ... animais gordos que ele matou. Ovelhas ... ele escolheu e trouxe a bordo.
Os pássaros voando no céu, o gado e o ... do deus do gado, as criaturas da estepe, ... ele trouxe a bordo
...
Ele convidou seu povo ... Para uma festa ... Sua família foi trazida a bordo.
Enquanto um estava comendo um outro estava bebendo,
Ele entrou e saiu; ele não poderia sentar-se, não podia ajoelhar-se, pois tinha o coração quebrado, tinha náusea biliar. 
[O grande dilúvio]
A perspectiva do clima mudou.
[O deus tempestade] Adad começou a rugir nas nuvens, foi escutado o seu clamor.
Ele trouxe betume para selar sua porta.
No momento que aparafusava sua porta, Adad rugia nas nuvens.
Os ventos estavam furiosos quando se afirmava,
Ele cortou a corda de amarração e lançou o barco. 
[...] 
... a tempestade ... Estavam unidos
Anzu agarrou o céu com suas garras,
Ele ... a terra e quebrou o seu clamor, como uma panela.
... Veio o dilúvio diante.
Seu poder veio sobre os povos como uma batalha, uma pessoa não via outra, não se reconheciam uns aos outros na catástrofe.
O dilúvio desceu como um touro, O vento ressoou como uma águia gritando.
A escuridão era densa, o sol tinha ido embora,
... Como moscas.
O clamor do dilúvio. 

[... Os deuses encontram-se com fome porque não existem agricultores e sacrifícios não são ofertados. Quando eles descobrem que Atrahasis sobreviveu, eles fazem um plano para certificar-se de que o ruído permanecerá dentro dos limites:. Inventam o parto, a mortalidade infantil, e o celibato] 
[A humanidade punida]
Enki disse a Nintu, a deusa parteira:
"Tu, deusa do nascimento, criadora de destinos, estabelece a morte para todos os povos!
...
"Agora, então, que haja um terceiro tipo de mulher entre as pessoas, pois existe a mulher que gerou e a mulher que não tenha gerado. Haja também entre o povo a pasittu (demónia): deixá-la roubar o bebê de colo que o gerou.
E estabelecer sacerdotisas e altas sacerdotisas, deixá-las serem celibatárias, e assim reduzir o parto.


Comparemos esta narrativa com as outras duas que já vimos anteriormente:



Atrahasis
Gilgamesh
Bíblia
Data
c.1640 a.C.
c.1100 a.C.
c.1000-500 a.C.
Revolta
deuses menores
?
gigantes
Herói
Atrahasis
Utnapishtin
Noé
País
-
Shuruppak
-
Destruidor
Enlil
Enlil
Yahveh
Aviso
sonho
ordem indirecta
ordem directa
Razão
ruido
?
pecado, gigantes
Água
chuva
tempestade
chuva, fontes subterrâneas
Salvador
Enki
Enki
Yahveh
Duração
7 dias
7 dias
40/150 dias
Pássaros
?
corvo, pomba, andorinha
pombas/corvo
Chegada
-
Nimush
Ararat
Prémio
vida eterna
vida eterna
três filhos



Uma diferença notória é que na versão bíblica, Yahveh é simultaneamente destruidor e salvador.


Referência: http://www.livius.org/as-at/atrahasis/atrahasis.html




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...