terça-feira, 10 de março de 2009

Abraão e a sua “irmã”





Entretanto, logo após a revelação de Yahveh, Abraão foi ver a terra que lhe fora prometida. Acontece que uma terrível fome assolava aquele território e, por isso, Abraão e Sara tiveram que ir morar para o Egipto.


Abraão e o Faraó
Enquanto viajavam para o Egipto, Abraão pediu a Sara para fingir que era apenas irmã dele, argumentando que o poderiam matar para lhe ficarem com a mulher, visto que Sara era uma bela mulher. Assim combinado, quando chegaram ao Egipto, o Faraó desejou ficar com Sara e passou a tratar muito bem Abraão, como a um cunhado, dando-lhe muitas riquezas na forma de gado, camelos e escravos. Mas, desagradado com esta troca, Deus começou a lançar maldições (pragas) contra o Faraó e este apercebeu-se que tinha sido enganado por Abraão. O Faraó ordenou então que Abraão e Sara saíssem do Egipto, embora pudessem levar todas as riquezas que lhes tinha oferecido. Foi assim, com esta artimanha, que Abraão se tornou muito rico (Génesis 12:10-20).

Abraão e o rei de Gaza
Noutra passagem, Abraão repete o mesmo truque com um rei da região de Gaza, Abimeleque. O rei fica com Sara e, então, Deus fala directamente com este rei dizendo-lhe “olha que estás mesmo para morrer, pois essa mulher tem marido”, mas o rei conseguiu convencer Deus que não tinha nenhuma culpa do sucedido, pois tinha sido enganado por Abraão. Abimeleque foi, então, pedir justificações a Abraão, o qual respondeu “ela é realmente minha irmã, para além de ser minha esposa”! (Abraão ou era muito mentiroso ou era muito incestuoso...) E Abimeleque acabou por presentear Abraão com muitas riquezas antes de lhe restituir Sara. Foi assim que Abraão conseguiu aumentar a sua riqueza (Génesis 20:1-14).
Este rei de Gaza, Abimeleque, devia ter um problema grave de visão, porque Sara já tinha mais de noventa anos, conforme é dito numa passagem anterior (Génesis 17:17), e já não seria a donzela descrita no capítulo 12 de Génesis.

Isaque e o rei de Gaza
A segunda história é praticamente uma repetição da primeira, que se passou com o Faraó. E uma terceira história que decorre muito mais tarde entre Isaque, filho de Abraão, e o rei Abimeleque é muito semelhante a esta (Genesis 26:1-11). Isto indica que os autores do Antigo Testamento não tinham muita imaginação para criarem histórias originais! E, posteriormente, os autores do Novo Testamento herdaram muito desta falta de originalidade.


Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...