sábado, 21 de janeiro de 2012

Reino de Israel - inimigo de Judá




Como o Antigo Testamento é composto principalmente por literatura judaica, os reis do norte de Israel são retratados com muito desfavor.

Segundo as crónicas do Antigo Testamento, o Reino de Israel, durante a sua curta história, viu desfilar uma série de famílias ou casas reais. Cada dinastia era fundada sobre o sangue derramado da dinastia anterior.

A tabela seguinte resume a vida dos reis que Israel teve, segundo o Antigo Testamento, bem como a sua cronologia. Os reis que fundaram uma nova dinastia estão a negrito e assinalados com um asterisco (*).


Rei
Datas (AEC)
Notas
Jeroboão I (*)
922-901
Primeiro rei de Israel, depois da secessão.
Nadabe
901-900
Filho de Jeroboão. Assassinado por Baasa.
Baasa (*)
900-877
Exterminou toda a família de Jeroboão.
Elá
877-876
Filho de Baasa. Assassinado pelo seu criado e sucessor Zimri.
Zimri (*)
876
Reinou apenas uma semana.
Omri (*)
876-869
Fundou Samaria como capital de Israel. Tornou-se muito poderoso.
Acabe
869-850
Filho de Omri. Casou-se com Jezebel, uma princesa fenícia. Foi morto em combate. A sua filha, Atália, tornou-se rainha de Judá.
Acazias
850-849
Filho de Acabe. Morreu em consequência de uma queda.
Jeorão
849-842
Filho de Acabe, irmão de Acazias. Assassinado por Jeú
Jeú (*)
842-815
Matou Jezebel e toda a família real. Tributário de Salmaneser III da Assíria.
Jeoacaz
815-801
Filho de Jeú.
Joás
801-786
Filho de Jeoacaz.
Jeroboão II
786-746
O reino de Israel atingiu o máximo de poder.
Zacarias
746-745
Filho de Jeroboão II. Assassinado por Salum (Chalum).
Salum (*)
745
Foi rei apenas um mês. Assassinado por Menahém.
Menahém (*)
745-738
Pagou um elevado tributo ao rei assírio Tiglath-Pileser III para se manter no poder.
Pecaías
738-737
Filho de Menahém. Assassinado por Peca.
Pecá (*)
737-732
Em coligação com a Síria, invadiu Judá, mas foi derrotado por Tiglath-Pileser III. Assassinado por Oséias.
Oséias (*)
732-724
Rei fantoche colocado pelos assírios e deposto por Salmaneser V.


Podemos suspeitar, a avaliar pelos relatos bíblicos, que ser rei em Israel (ou pertencer à família do rei) não era uma actividade muito saudável!


O rei Jeroboão I

Para evitar que o povo fosse a Jerusalém, no reino de Judá, prestar culto e sacrifícios, o rei Jeroboão I construiu dois bezerros de ouro e colocou-os em dois locais para que o povo do novo reino de Israel tivesse um local próprio para o culto.
1 Reis 12:27-30 Se este povo subir para fazer sacrifícios na casa do Senhor, em Jerusalém, o seu coração se tornará para o seu senhor, Roboão, rei de Judá; e, matando-me, voltarão para Roboão, rei de Judá. Pelo que o rei, tendo tomado conselho, fez dois bezerros de ouro; e disse ao povo: Basta de subires a Jerusalém; eis aqui teus deuses, ó Israel, que te fizeram subir da terra do Egipto. E pôs um em Betel, e o outro em Dã. Ora, isto se tornou em pecado; pois que o povo ia até Dã para adorar o ídolo

Segundo o Primeiro Livro dos Reis, Jeroboão tinha medo que o seu povo fosse a Jerusalém, no Reino de Judá, fazer sacrifícios, porque assim poderia perder o poder. Por isso construiu os bezerros como alternativa à adoração prestada em Jerusalém. Isto leva a pensar que neste tempo ainda não havia o culto de Yahveh – o qual seria adverso ao uso de imagens esculpidas –, em Jerusalém. Todos relatos que mostram a ligação prévia dos israelitas com Yahveh poderão ser pura ficção, porque:
-          se em Jerusalém já fosse praticado o culto a Yahveh, os bezerros de ouro não seriam uma alternativa, porque o culto de Yahveh é adverso ao uso de ídolos;
-          se Jeroboão tivesse em mente uma alternativa para que o povo não se deslocasse a Jerusalém, teria construido um templo para esse mesmo culto de Yahveh no território do norte de Israel;

Esta passagem é absolutamente similar ao episódio em que Moisés volta do monte com as tábuas dos mandamentos e depara-se com o povo a idolatrar um bezerro de ouro.
Êxodo 32:1 Mas o povo, vendo que Moisés tardava em descer do monte, acercou-se de Arão, e lhe disse: Levanta-te, faze-nos um deus que vá adiante de nós; porque, quanto a esse Moisés, o homem que nos tirou da terra do Egipto, não sabemos o que lhe aconteceu. E Arão lhes disse: Tirai os pendentes de ouro que estão nas orelhas de vossas mulheres, de vossos filhos e de vossas filhas, e trazei-mos. Então todo o povo, tirando os pendentes de ouro que estavam nas suas orelhas, os trouxe a Arão; ele os recebeu de suas mãos, e com um buril deu forma ao ouro, e dele fez um bezerro de fundição. Então eles exclamaram: Eis aqui, ó Israel, o teu deus, que te tirou da terra do Egipto.

Supostamente, o episódio relativo a Moisés teria decorrido muitos séculos antes. Mas podemos perguntar-nos qual das histórias foi a primeira a ser escrita. O mais provável é que a história relativa a Jeroboão tenha servido de inspiração para se escrever uma história supostamente mais antiga.

A capital Samaria

O Reino do norte de Israel inicialmente teve como capital provavelmente a cidade de Siquém e, passado pouco tempo, a cidade de Tirza. Mais tarde, sob o reinado de Omri (ou Omeri), Samaria tornou-se a capital. No tempo dos romanos, parte do território do antigo reino de Israel era designado pelo nome Samaria. No Novo Testamento, existem várias passagens que indicam que judeus e samaritanos detestavam-se mutuamente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...