sábado, 21 de janeiro de 2012

Saul - o primeiro rei





Os relatos bíblicos parecem indicar que havia uma facção israelita que desejava uma monarquia, invocando que um rei constituiria uma solução mais estável e duradoura para a união das tribos do que os ocasionais líderes carismáticos denominados “juízes”.

Para resolver esta situação política, o profeta-juíz Samuel juntou todo o povo de Israel e escolheu, por sorteio, um rei para Israel. A sorte recaiu em Saul, da tribo de Benjamim, mas o sorteio estava viciado, porque Saul já tinha sido escolhido antes por Yahveh através do profeta. Uma situação cómica é que, quando Samuel anunciou o vencedor do sorteio, ninguém conseguia encontrar Saul e o povo até indagou a Yahveh para saber onde ele estaria. Yahveh respondeu então que Saul “escondeu-se no meio da bagagem” (1 Samuel 10). Talvez Saul tivesse medo que o povo descobrisse que o sorteio tinha sido corrompido!


O genocídio dos amalequitas

Saul foi confirmado rei após algumas vitórias militares mas, pouco tempo depois, o reinado de Saul começou a desmoronar-se por ter perdido o apoio de Deus. É que Yahveh tinha-lhe encomendado o genocídio dos amalequitas, como um ajuste de contas de algo que se tinha passado séculos atrás:
Samuel 15:2-3 Assim diz o Senhor dos exércitos: Castigarei a Amaleque por aquilo que fez a Israel quando se lhe opôs no caminho, ao subir ele do Egipto. Vai, pois, agora e fere a Amaleque, e o destrói totalmente com tudo o que tiver; não o poupes, porém matarás homens e mulheres, meninos e crianças de peito, bois e ovelhas, camelos e jumentos.

Saul foi para a guerra contra os amalequitas mas teve compaixão do rei Agague e poupou-o ao massacre, e também não achou bem destruir as manadas. Isso enfureceu Yahveh, acusando Saul de desobediência e retirando-lhe todo o apoio (Yahveh não gostava de mariquices como a compaixão... mas, vendo bem as coisas, Saul deve ter ficado aliviado, pois o “apoio” de Yahveh devia ser duro de suportar...). Desiludido com Saul, Yahveh começou a virar as suas atenções para um novo candidato a rei: David, da tribo de Judá.

Saul, verificando que também o povo começava a mostrar preferência por David, teve ciúmes dele e tentou matá-lo com uma lança, enquanto ele tocava harpa.



A morte de Saúl


As circunstâncias e causa da morte de Saul fazem também parte de duas passagens duvidosas do Antigo Testamento:
-          em 1º Samuel 31:4-6, Saul ficou gravemente ferido numa batalha contra os filisteus e pediu ao seu escudeiro para que o matasse com a espada; como o escudeiro recusou-se, Saul matou-se caindo sobre a sua própria espada e depois o escudeiro também matou-se;
-          em 2º Samuel 1:1-16, um jovem amalequita dirige-se a David para contar que tinha encontrado o rei Saul moribundo e que, a pedido do próprio rei, o tinha morto; por conseguinte, David ordenou a execução imediata deste jovem, por ter morto o rei de Israel escolhido por Yahveh.



2 comentários:

  1. Na verdade, não há nenhuma ambiguidade nessa passagem. O fato é que, o jovem amaleguita pensou que poderia levar algum tipo de vantagem assumindo a autoria da morte de Saul, o que não ocorreu. Mais uma "eixegese" equivocada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo seu comentário!

      Pois então temos:
      - se o jovem matou Saúl - então temos uma contradição clara
      - se o jovem não matou Saul - então Davi matou injustamente o jovem, mas o texto de Samuel nunca diz que Davi foi injusto ou que se tinha equivocado.

      Saudações.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...