sábado, 13 de outubro de 2012

Marcos - Censura VIII - Três Dias. Licenciamento. Contra e a Favor.



Os autores de Mateus e Lucas, em algumas passagens, não se limitaram a copiar as frases encontradas em Marcos. Algumas alterações ao texto revelam a intenção de simplesmente o embelezar, mas outras revelam a intenção de modificar a doutrina apresentada em Marcos.




Ao fim de três dias ou ao terceiro dia?

Em Marcos, vemos Jesus a profetizar sobre a sua própria morte e ressurreição ao fim de três dias, ou seja, seria ao fim de 72 horas. 

Isto é incompativel com os relatos da ressurreição, que dizem que Jesus esteve na morte durante a noite de sexta-feira, todo o dia e noite de sábado e a madrugada de domingo, aproximadamente 36 horas ou metade dos três dias. Segundo o relato de Marcos, Jesus esteve na morte durante duas noites e um dia e não três dias.

Marcos
Mateus
Lucas
Marcos 8:31 Começou então a ensinar-lhes que era necessário que o Filho do homem padecesse muitas coisas, que fosse rejeitado pelos anciãos e principais sacerdotes e pelos escribas, que fosse morto, e que depois de três dias ressurgisse.
Marcos 9:31 porque ensinava a seus discípulos, e lhes dizia: O Filho do homem será entregue nas mãos dos homens, que o matarão; e morto ele, depois de três dias ressurgirá.
Mateus 16:21 Desde então começou Jesus Cristo a mostrar aos seus discípulos que era necessário que ele fosse a Jerusalém, que padecesse muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes, e dos escribas, que fosse morto, e que ao terceiro dia ressuscitasse.
Mateus 17:23 e matá-lo-ão, e ao terceiro dia ressurgirá. E eles se entristeceram grandemente.
Mateus 20:19 e o entregarão aos gentios para que dele escarneçam, e o açoitem e crucifiquem; e ao terceiro dia ressuscitará.
Lucas 9:22 e disse-lhes: É necessário que o Filho do homem padeça muitas coisas, que seja rejeitado pelos anciãos, pelos principais sacerdotes e escribas, que seja morto, e que ao terceiro dia ressuscite.
Lucas 18:33 e depois de o açoitarem, o matarão; e ao terceiro dia ressurgirá.
Lucas 24:7 dizendo: Importa que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia ressurja.

“Mateus” e “Lucas” devem ter dado por essa inconsistência e refrasearam para “ao terceiro dia”, o que já é mais compatível com os relatos da ressurreição.

Por outro lado, em Mateus e Lucas, Jesus chama à sua missão “o sinal de Jonas”.

Mateus
Lucas
Mateus 12:39-40 Mas ele lhes respondeu: Uma geração má e adúltera pede um sinal; e nenhum sinal se lhe dará, senão o do profeta Jonas; pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.
Lucas 11:29-30 Como afluíssem as multidões, começou ele a dizer: Geração perversa é esta; ela pede um sinal; e nenhum sinal se lhe dará, senão o de Jonas; porquanto, assim como Jonas foi sinal para os ninivitas, também o Filho do homem o será para esta geração.


Mas a passagem tem diferenças nas duas versões:
-          em Mateus, Jesus diz que, tal como Jonas esteve na barriga do peixe durante três dias e três noites, ele também estaria na morte também durante três dias e três noites;
-          em Lucas, Jesus iguala a sua missão à missão de Jonas (para evitar a questão dos “três dias”, este autor acidentalmente despromove Jesus para o nível de um profeta inferior).

Podemos confirmar pelo próprio livro de Jonas no Antigo Testamento que ele esteve três dias e três noites na barriga do peixe:

Jonas 1:17 Então o Senhor deparou um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites nas entranhas do peixe.

Portanto é clara a inconsistência entre os três dias e três noites de Jonas e as duas noites e dois dias da morte de Jesus.



Licenciamento ou Direitos de franchise

Segundo Marcos, o apóstolo João queixa-se de um homem que andava, sem licença, a expulsar demónios em nome de Jesus.

Marcos
Lucas
Marcos 9:38-40 Disse-lhe João: Mestre, vimos um homem que em teu nome expulsava demônios, e nós lho proibimos, porque não nos seguia. Jesus, porém, respondeu: Não lho proibais; porque ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo depois falar mal de mim; pois quem não é contra nós, é por nós.
Lucas 9:49-50 Disse-lhe João: Mestre, vimos um homem que em teu nome expulsava demônios; e lho proibimos, porque não segue conosco. Respondeu-lhe Jesus: Não lho proibais; porque quem não é contra vós é por vós.

Parece que o apóstolo João não achou graça ao atentado aos direitos de franchise por parte do tal homem que andava a expulsar demónios em nome de Jesus. Mas, em Marcos, Jesus não dá importância ao caso, transmitindo a ideia de que expulsar demónios em seu nome seria relativamente fácil e qualquer um o poderia fazer mesmo sem ter uma licença prévia.

“Mateus” omitiu a passagem por inteiro e “Lucas” omitiu a frase “porque ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo depois falar mal de mim” pois não faria sentido Jesus admitir que houvesse alguém a fazer milagres em seu nome sem estar oficialmente habilitado.



Quem não é contra?

Em Marcos, na sequência do episódio sobre o homem não autorizado a fazer exorcismos, Jesus explica a sua política de aceitação dos de fora do grupo, transmitindo uma filosofia bastante tolerante: “quem não é contra, é a favor”. Este modo de pensar não afasta aqueles que não formularam opinião acerca de Jesus, os neutros.

Marcos
Mateus
Lucas
Marcos 9:38-40 ... pois quem não é contra nós, é por nós.

Lucas 9:49-50 ... porque quem não é contra vós é por vós.

Mateus 12:22-30 ... Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.
Lucas 11:14-23 ... Quem não é comigo, é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.

O autor de Mateus, inseriu uma outra passagem que mostra que a política de aceitação pregada por Jesus exclui os neutros. Mais rigorosamente, não deve ter sido “Mateus” que criou esta passagem, porque esta é daquelas cuja origem se pode atribuir ao Evangelho Perdido Q, pois repete-se em Lucas e não em Marcos.

“Lucas” não se apercebeu que tinha de optar por uma das passagens – ou a de Marcos ou a de Q – e acabou por entrar em inconsistência no seu texto. Vejamos o seguinte comparação para verificar as diferenças.

Atitude da pessoa
Marcos e 1º texto de Lucas
Mateus e 2º texto de Lucas
A favor de Jesus
É por Jesus
É por Jesus
Sem opinião
É por Jesus
É contra Jesus
Contra Jesus
É contra Jesus
É contra Jesus

Vemos que os neutrais, ou os que não formaram opinião sobre Jesus, são tratados de modo diferente conforme olhamos para a passagem em Marcos ou para a passagem em Mateus.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...