quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Marcos - Material exclusivo - Beber Veneno é bom?




  

O que os outros evangelhos não narram - resumo

Finalizemos com uma revisão das partes do texto de Marcos que não ocorrem em mais nenhum local do Novo Testamento:
-          Marcos 1:1 – introdução;
-          Marcos 3:19-21 – a família de Jesus tenta detê-lo por insanidade;
-          Marcos 4:26-29 – a parábola da semente que cresce por si só;
-          Marcos 7:31-37 – a cura do surdo em Decápolis (com cuspo);
-          Marcos 8:22-26 – a cura do cego em Betsaida (com cuspo);
-          Marcos 14:51-52 – o jovem que segue Jesus em roupa interior e que foge nú quando Jesus é preso;
-          Marcos 16:14-18 – a missão dos onze (apenas na versão de Marcos com a conclusão longa, nos manuscritos mais recentes).


Conclusão Curta vs. Conclusão Longa

Existem duas versões de manuscritos de Marcos que diferem a partir do fim do versículo de Marcos 16:8.
-          os manuscritos mais antigos têm uma conclusão curta que fecha o livro com apenas mais um parágrafo após Marcos 16:8;
-          os manuscritos mais recentes têm uma conclusão longa (Marcos 16:9-20) que apresenta mais doze versículos de informação com importância na doutrina; a maior parte das Bíblias modernas incluem este desfecho no texto de Marcos.

Marcos 16:9-14 Ora, havendo Jesus ressurgido cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios. Foi ela anunciá-lo aos que haviam andado com ele, os quais estavam tristes e chorando; e ouvindo eles que vivia, e que tinha sido visto por ela, não o creram. Depois disso manifestou-se sob outra forma a dois deles que iam de caminho para o campo, os quais foram anunciá-lo aos outros; mas nem a estes deram crédito. Por último, então, apareceu aos onze, estando eles reclinados à mesa, e lançou-lhes em rosto a sua incredulidade e dureza de coração, por não haverem dado crédito aos que o tinham visto já ressurgido

A conclusão longa relata três aparições de Jesus que se assemelham muito com o relato da pós-ressurreição de Lucas:
-          uma aparição a Maria Madalena;
-          depois, uma aparição a dois discípulos não especificando o nome;
-          e mais uma aparição aos onze quando estavam à mesa

Marcos 16:15-18 E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados.

Na última aparição, Jesus disse aos onze para divulgarem a mensagem dele por todo o mundo, porque salvaria quem acreditasse. Para além disso, todos os crentes receberiam os seguintes poderes:
-          poder expulsar os demónios em nome de Jesus;
-          falar línguas estrangeiras;
-          pegar em serpentes;
-          beber venenos mortíferos sem ter problemas;
-          curar os doentes, por simplesmente colocar as mãos neles.

A avaliar por estas revelações, os crentes em Jesus transformar-se-iam em artistas de circo de sucesso.


Depois de proferir todas estas novidades, Jesus foi recebido no céu (como é que "Marcos" soube onde Jesus sentou-se?). 
Marcos 16:19-20 Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu, e assentou-se à direita de Deus. Eles, pois, saindo, pregaram por toda parte, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que os acompanhavam.

Mas “Marcos” não descreve a ascensão como um evento observável - como “Lucas” o fez e que vamos analisar brevemente.

Um comentário:

  1. Teno em vista que esses adendos são posteriores a obra original, e que o demais sinóticos inspiraram-se nesses mesmos escritos, incorreram todos nos mesmo erros. Toda uma doutrina de mentiras. Excelente texto!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...