terça-feira, 13 de novembro de 2012

Lucas - Anunciação, Jesus de onde?







Anunciação

Em Lucas quem recebe a mensagem do anjo é Maria, ao contrário do que acontece em Mateus. Neste episódio, Maria fica a saber que vai ficar grávida por meio do Espírito Santo, em vez de ser por meio de José. Isto significa que José fica excluído da concepção de Jesus e que todas as profecias àcerca do Messias da linhagem de David ficam sem efeito porque a concepção de Jesus não envolve um homem. Tanto em Mateus como em Lucas apenas José é referido como “filho de David” (Mateus 1:20; Lucas 1:27).

“Lucas” introduz uma dupla anunciação ao relatar também um nascimento fora do comum para João Baptista: a sua mãe, Elisabete, que tinha sido estéril toda a vida, fica grávida já em idade avançada. Maria recebe a anunciação seis meses mais tarde e visita a sua parente, Elisabete (em Lucas, Maria é uma mulher altamente emancipada que não dá satisfações a ninguém nem quando fica grávida nem quando viaja para visitar a sua prima).

João Baptista deu um salto de alegria no ventre de sua mãe, supostamente, ao reconhecer o Salvador, quando Maria e Elisabete se juntam, ambas grávidas. Mas, em adulto, quando estava preso, enviou mensageiros para perguntar a Jesus: “És tu aquele que havia de vir, ou havemos de esperar outro?” (Lucas 7:18-19). Esta dúvida de João Baptista não é muito coerente com o relato das anunciações. Também não é coerente com o relato do baptismo de Jesus nos outros evangelhos, onde João Baptista presenciou a descida do Espírito Santo em forma de uma pomba ao mesmo tempo que uma voz celestial informava que Jesus era o Filho de Deus (mas, em Lucas, João Baptista não está presente no baptismo de Jesus, porque já estava preso).

O parentesco de Maria com Elisabete também põe em causa o argumento apologista da Igreja que defende que a genealogia apresentada em Lucas é a genealogia de Maria. Ora, Elisabete era levita, pois segundo o relato de Lucas, era descendente de Arão e, portanto, da tribo de Levi (Arão era irmão de Moisés e bisneto de Levi; Êxodo 6:16-20; Lucas 1:5). Então, se Elisabete era da tribo de Levi, e como Maria era aparentada com esta, também teria de o ser e não poderia ser descendente de David, uma vez que este era da tribo de Judá.


Belém, o local do nascimento

 “Lucas” diz que Maria e José foram para Belém por causa de um “recenseamento mundial decretado por César Augusto”, que obrigava as pessoas a deslocarem-se às suas terras de origem (!!).

Lucas 2:1-4 Naqueles dias saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo fosse recenseado. Este primeiro recenseamento foi feito quando Quirínio era governador da Síria. E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade. Subiu também José, da Galiléia, da cidade de Nazaré, à cidade de David, chamada Belém, porque era da casa e família de David

Um censo mundial que obrigasse todas as pessoas a deslocarem-se às suas terras de origem, não só não seria praticável como seria um absurdo, pois paralisaria a economia do Império durante semanas, enquanto as pessoas andavam a viajar de um lado para o outro. Os censos dos romanos tinham o objectivo de facilitar a colecta de impostos e eram realizados nos locais onde as pessoas viviam e trabalhavam.

Na verdade, “Lucas” só podia referir-se ao recenciamento organizado pelo governador Quirinius, quando a Judeia começou a ser governada directamente pelos romanos, após a expulsão do rei Arquelau, filho de Herodes. Este censo aconteceu em 6 EC, e deu origem a uma revolta anti-romana organizada por um agitador chamado Judas Galileu.

Se combinarmos a informação de que Maria ficou grávida no tempo do rei Herodes, que morreu em 4 AEC, com a informação de que Jesus nasceu no tempo do recenciamento de 6 EC, temos de concluir que Maria teve uma gravidez de quase dez anos! Ora, uma gravidez de tal duração é um milagre muito mais notável que a gravidez de uma virgem (tendo em conta que, teoricamente, a ciência dos nossos dias possibilita uma virgem engravidar por inseminação in vitro...), e este milagre nunca é referido!


Nazaré, o regresso à morada de família

“Lucas” explica que Maria e José já viviam na Nazaré, uma cidade da Galiléia, e que foi para esta cidade que regressaram depois do nascimento de Jesus.

Mateus 2:21-23 Então ele se levantou, tomou o menino e sua mãe e foi para a terra de Israel. Ouvindo, porém, que Arquelau reinava na Judeia em lugar de seu pai Herodes, temeu ir para lá; mas avisado em sonho por divina revelação, retirou-se para as regiões da Galiléia, e foi habitar numa cidade chamada Nazaré; para que se cumprisse o que fora dito pelos profetas: Ele será chamado nazareno.
Lucas 2:39 Assim que cumpriram tudo segundo a lei do Senhor, voltaram à Galiléia, para sua cidade de Nazaré.


Isto entra em contradição com o relato de Mateus que diz que José levou a família para viver na Nazaré pelas seguintes razões:
-          tinha medo de Herodes Arquelau, que reinava na Judeia;
-          foi avisado em mais um sonho de divina revelação para ir para a Galiléia;
-          escolheu Nazaré na Galiléia porque havia uma profecia que indicava que Jesus ia chamar-se “nazareno”.

Mateus refere Nazaré como se se tratasse do começo de uma nova vida, numa nova terra. Lucas refere apenas um regresso a casa após alguns dias de ausência.

Excluindo a narrativa do nascimento e da infância de Jesus, Lucas contém uma referência à localidade de Nazaré e três referências ao adjectivo “nazareno”:
Lucas 4:16 Chegando a Nazaré, onde fora criado; entrou na sinagoga no dia de sábado, segundo o seu costume, e levantou-se para ler. 
Lucas 4:34 Ah! que temos nós contigo, Jesus, nazareno? vieste destruir-nos? Bem sei quem é: o Santo de Deus. 
Lucas 18:37 Disseram-lhe que Jesus, o nazareno, ia passando. 
Lucas 24:19 Ao que ele lhes perguntou: Quais? Disseram-lhe: As que dizem respeito a Jesus, o nazareno, que foi profeta, poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo.

Já vimos anteriormente que não é certo que a designação “Jesus o Nazareno” fosse equivalente a “Jesus da Nazaré, da Galiléia”. Dos evangelhos canónicos apenas Lucas menciona um episódio decorrido explicitamente na Nazaré (Lucas 4:16-30). Este episódio inclui uma visita de Jesus à sinagoga da Nazaré. Ora, os historiadores não encontram provas da existência de uma localidade destes tempos com o nome Nazaré. Se Nazaré tivesse uma sinagoga nesse tempo, então seria uma localidade com dimensões relevantes.


Comparando com Mateus

Para recapitular, vamos comparar todos os pontos do relato do nascimento e origem de Jesus dos textos de Mateus e Lucas.


Mateus
Lucas
Nome do pai de José
Jacob
Eli
Importância de José nos acontecimentos
José é o condutor dos acontecimentos, Maria não fala
José não fala e tem pouca importância, Maria é protagonista
Residência antes
O texto implica Belém, Judeia
Nazaré, Galileia
Anunciação
José recebe a mensagem do anjo depois de Maria engravidar.
Maria recebe a mensagem do anjo e fica grávida antes de Herodes morrer, 4 AEC, o mais tardar.
Data de nascimento de Jesus
Antes de Herodes morrer, 4 AEC o mais tardar
Quando Quirinius era governador da Síria, a partir de 6 EC, ou seja, 10 anos depois de Maria ficar grávida.
Local de nascimento
Belém, Judeia
Belém, Judeia
Porquê esse local de nascimento
Presume-se que já lá viviam, e por causa de uma profecia.
Por causa de um recenciamento que obrigava as pessoas a deslocarem-se à terra dos seus antepassados.
Acontecimentos entre o nascimento e a ida para a Nazaré
Magos visitam Herodes
Magos visitam a criança
Anjo avisa José de perigo
José leva família para o Egipto
Herodes ordena o massacre das crianças de Belém.
Herodes morre
Anjo avisa José que podem regressar
José e família regressam do Egipto
Visita dos pastores
Em Jerusalém:
 - Aos 8 dias, circuncisão
 - Aos 40 dias, oferta de duas rolas para serem sacrificadas no templo.
Residencia depois
José queria regressar a Belém, na Judeia, mas receava Arquelau (filho de Herodes); por isso e para cumprir uma profecia leva a família para Nazaré na Galiléia.
Retornam à sua casa, a Nazaré.


10 comentários:

  1. Cara, este foi um dos melhores textos que já li! MUITO BOM!

    ResponderExcluir
  2. Quem é você para colocar aqui uma foto de Nossa Senhora nua!!! Cara, você faz isso com a Mãe de Deus??
    Vá arder no inferno!

    ResponderExcluir
  3. kkkk, esse anonimo ai em cima nao deve ser bom da cabeca, foto nua de nossa Senhora, kkk, que palhaco, vou morrer de rir. QUANTA IGNORANCIA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquele comentário é triste de tão cómico que é...

      Excluir
  4. Já que é para usar os textos bíblicos para provar alguma coisa, então faço uso dos mesmos e os uso na língua de prudção original, o grego: καὶ ἰδοὺ ἐλισάβετ ἡ συγγενίς σου καὶ αὐτὴ συνείληφεν υἱὸν ἐν γήρει αὐτῆς, καὶ οὖτος μὴν ἕκτος ἐστὶν αὐτῇ τῇ καλουμένῃ στείρᾳ· A tradução seria em português mais ou mesno assim conforme os tradutores, com algumas pequenas variações: Lucas 1: 36: Também ISABEL, TUA PARENTA, até ela concebeu um filho na sua velhice; e já está no sexto mês aquela que é tida por estéril,... a palavra parenta em algumas versões é traduzida por prima, mas o que é importa é que a palavra em grego é: συγγενης, cujo significado varia entre: relação de sangue entre pessoas, congênito, herança do sangue, parentesco, por ai vai. Em latim ficou traduzido por “cognata” que tem tradução semelhante. No entanto, o que quero dizer com isso ao mostrar que Maria é parenta de Isabel? Ai vai a resposta: LUCAS 1. 5: Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão; e o seu nome era ISABEL.
    Preciso de mais empenho para destruir seu argumento? Dica: sou estudioso dos textos bíblicos e não pense que seus questionamentos já não foram feitos no passado, não pense que a capacidade de questionar e refletir é exclusividade de nossa época, Pq Não É! Nunca é fácil assim refletir sobre textos da antiguidade, não é assim tão ingênuo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então qual é a sua conclusão? Maria era da tribo (etnia) de Levi ou de Judá?

      Excluir
  5. Não foi todo o comentário, desculpa, na hora de colar faltou isso: TOdas as tribos de certa forma são aparentadas, infelizmente para mostrar isso gastaria muitas linhas, mas dá uma olhadinha depois, além disso, para a tradição bíblica Jesus também tinha a descendencia de Davi por motivos legais, não apenas por sangue, pois era filho para toda a comunidade de José, afinal o não era público oconhecimento de que ele não era filho de José. E para finalizar, Santo Agositnho, TOmas de Aquino, Origines entre outros intelctuais da Igreja já levantaram essa questão. Repeitndo: não pense que reflexão é exclusidade do nosso tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois neste artigo faço comparação entre a narrativa de Mateus e a de Lucas, segundo os seguintes tópicos:
      - Nome do pai de José (o nome do "avô" de Jesus)
      - Importância de José nos acontecimentos
      - Residência do casal antes do nascimento de Jesus
      - Anunciação
      - Data de nascimento de Jesus
      - Local de nascimento
      - Porquê esse local de nascimento
      - Acontecimentos entre o nascimento e a ida para a Nazaré
      - Residencia da família depois do nascimento

      As narrativas divergem bastante.
      As narrativas da natividade são muito criativas e não correspondem a factos ou acontecimentos do mundo real.

      Excluir
  6. Paulo,as suas colocações perdem muito valor.porque fica muito evidente a sua intenção de macular

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...