quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Paixão II - Captura de Jesus





Agonia no jardim

Jesus entrou em agonia, ou não, nos momentos que antecederam a sua captura? Segundo Marcos e Mateus, Jesus parecia muito atrapalhado e condicionado pelas emoções.

Marcos 14:32-42
Mateus 26:36-47
Lucas 22:39-46
João 18:1
  - Jesus disse: “A minha alma está triste até à morte;”
  -  Por três vezes, Jesus pediu a Deus que o livrasse daquela situação;
  - Jesus viu, por três vezes, os apóstolos a dormir.
  - “apareceu um anjo para o confortar” (22:43)
  - “E, posto em agonia, orava mais intensamente; e o seu suor tornou-se como grandes gotas de sangue, que caíam sobre o chão. “ (22:44)
  - Jesus viu os apóstolos a “dormirem de tristeza” (!?) apenas uma vez
não menciona nenhum acontecimento antes da captura



É possível que “Lucas” tenha omitido, do seu relato, a tristeza, que consta em Marcos e Mateus, por não ser consistente com a sua doutrina de que Jesus seria de tal modo determinado que as emoções não o atrapalhavam. Os versículos sobre o anjo que o conforta e da agonia e suor de sangue (Lucas 22:43-44) costumam fazer parte da lista de inserções conhecidas ou dúbias. Provavelmente algum copista ou editor chocado com a interpretação demasiado fria de Lucas, resolveu adicionar um pouco de emoção. Vejamos como é que a passagem de Lucas fica depois de se subtrair os versículos suspeitos:
Lucas 22:39-46 Então saiu e, segundo o seu costume, foi para o Monte das Oliveiras; e os discípulos o seguiam. Quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação. E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e pondo-se de joelhos, orava, dizendo: Pai, se queres afasta de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. [... versículos 43 e 44 removidos...] Depois, levantando-se da oração, veio para os seus discípulos, e achou-os dormindo de tristeza; e disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos, e orai, para que não entreis em tentação.

Sente-se a falta de alguma coisa no texto? Podemos ler o texto sem notar a falta dos dois versículos. Isto sucede assim porque “Lucas” não queria retratar um homem fraco. Afinal, quantos homens mortais já deram a sua vida por causas menos nobres do que aquela a que Jesus se propôs? E o que é que Jesus tinha a perder se, afinal de contas, iria para junto do seu Pai?



O beijo de Judas

Quanto ao famosíssimo “beijo da traição” também não há consenso nos vários relatos. Apenas em Marcos e Mateus é que há o conhecido beijo.

Marcos 14:44-45;
Mateus 26:48-49;
Lucas 22:47-48;
João 18:3-5
Judas beija Jesus e os homens prendem Jesus.
Judas aproxima-se com a intenção de beijar Jesus, mas não chega a faze-lo porque é interrompido por Jesus. Os homens prendem Jesus.
Judas não beija Jesus. Jesus chega-se à frente e diz “Sou eu”. Os homens recuam e caem ao chão. Jesus insiste e os homens prendem-no.


Mas, se Jesus era famoso e não tinha o hábito de se esconder, porque seria necessário um traidor para o identificar na captura? Será que o episódio relativo à traição de Judas aconteceu mesmo?

Uma traição envolvendo um beijo é relatada em 2º Samuel numa cena com detalhes violentos, em que Joabe, sobrinho do rei David, mata o seu primo Amasa.
2 Samuel 20:9-10 E disse Joabe a Amasa: Vais bem, meu irmão? E Joabe, com a mão direita, pegou da barba de Amasa, para o beijar. Amasa, porém, não reparou na espada que estava na mão de Joabe; de sorte que este o feriu com ela no ventre, derramando-lhe por terra as entranhas, sem feri-lo segunda vez; e ele morreu. 

Muitos dos episódios da vida de Jesus retratam textos do Antigo Testamento. Porquê?
 - A explicação religiosa é que Jesus veio cumprir "profecias" do Antigo Testamento.
 - A explicação racional é que os autores do evangelho utilizaram textos do Antigo Testamento para construir a narrativa.



Pedro e o galo

Segundo todos os evangelhos canónicos, Jesus profetizou que Pedro o iria repudiar três vezes antes do galo cantar. Vejamos as várias versões do vaticínio de Jesus:

Marcos 14:30
Mateus 26:34
Lucas 22:34
João 13:38
Jesus disse a Pedro: “o galo não vai cantar duas vezes até que tu me negues três vezes”
Jesus disse a Pedro: “o galo não vai cantar até que tu me negues três vezes”


Aqui vemos que os evangelhos estão quase uniformes. Quase, porque em Marcos a fórmula ditada por Jesus foi “o galo cantar duas vezes” em vez de simplesmente “o galo cantar”.

Mas as verdadeiras inconsistências surgem na sequência desta passagem, quando tentamos perceber a quem é que Pedro efectivamente negou conhecer Jesus.

Marcos 14:66-72
Mateus 26:69-75
Lucas 22:55-61
João 18:15-17,25-27
Pedro negou Jesus a:
 - uma criada do sumo-sacerdote;
 - outra vez à mesma criada, na portaria;
 - a um grupo de pessoas;
e depois um galo cantou pela segunda vez.
Pedro negou Jesus a:
 - uma criada;
 - a outra criada (ou outra rapariga);
 - a um grupo de pessoas;
e depois um galo cantou.
Pedro negou Jesus a:
 - uma criada;
 - a um homem;
 - a outro homem;
e depois um galo cantou.
Pedro negou Jesus a:
 - uma porteira do sumo-sacerdote;
 - a um grupo de pessoas;
 - a um escravo do sumo-sacerdote;
e depois um galo cantou.


Em Marcos é relatado que o “galo cantou pela segunda vez”, mas não está especificado quando é que o galo cantou pela primeira vez. Deve ter sido por isso que os outros escritores resolveram colocar apenas uma “cantiga do galo”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...