quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Actos dos Apóstolos - As Bacantes de Eurípedes





(... continuação de "A Conversão de Paulo")

A ligação que se pode fazer entre o terceiro relato da conversão de Paulo com a peça de teatro As Bacantes é reforçada por mais passagens em Actos que definitivamente ligam as duas obras.

As Bacantes, de Eurípedes
Actos dos Apóstolos
O guarda que prende Dionisos informa que Dionisos entregou-se com mansidão e que até colaborou (linhas 435-440)
Actos 8:32 Ora, a passagem da Escritura que estava lendo era esta: Foi levado como a ovelha ao matadouro, e, como está mudo o cordeiro diante do que o tosquia, assim ele não abre a sua boca.
O guarda informa Penteu, que as bacantes que estavam presas e acorrentadas, ficaram misteriosamentes libertas fugiram por uma porta que se abriu “por nenhuma mão humana” (linhas 445-450)
Actos 12:6-11 ...nessa mesma noite estava Pedro dormindo entre dois soldados, acorrentado com duas cadeias e as sentinelas diante da porta guardavam a prisão. E eis que sobreveio um anjo do Senhor, e uma luz resplandeceu na prisão; e ele, tocando no lado de Pedro, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa. E caíram-lhe das mãos as cadeias. ... Depois de terem passado a primeira e a segunda sentinela, chegaram à porta de ferro, que dá para a cidade, a qual se lhes abriu por si mesma; e tendo saído, passaram uma rua, e logo o anjo se apartou dele.
Um terremoto abalou Tebas, destruindo o Palácio de Penteu e libertando de imediato Dionisos dos seus grilhões (linhas 605-645).
Actos 16:25-26 Pela meia-noite Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, enquanto os presos os escutavam. De repente houve um tão grande terremoto que foram abalados os alicerces do cárcere, e logo se abriram todas as portas e foram soltos os grilhões de todos.
Penteu diz a Dionisos: “escapaste às algemas, preserva a tua liberdade, senão renovo a punição.”
Dionisos responde “é melhor fazer oferenda do que, em fúria, dar pontapés contra aguilhões” (linha 794)
Actos 26:14 E, caindo nós todos por terra, ouvi uma voz que me dizia em língua hebraica: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa te é recalcitrar contra os aguilhões.



Mas, o que é que Eurípedes, mais de quatrocentos anos antes, contou na peça de teatro As Bacantes?

Resumo de As Bacantes, de Eurípedes
Dionisos, o deus do vinho, era filho de Zeus e uma mulher, Semele, filha do rei Cadmo de Tebas. A sua mãe caiu em desgraça, por ter ficado grávida, porque a família não reconhecia Zeus como o responsável daquela gravidez. A própria Semele ficou em dúvida se aquele com quem se deitou seria mesmo Zeus e desafiou-o a prová-lo. Zeus, ao fazer uma demonstração de poder, acabou por fulminar Semele, ainda grávida, com um raio, mas teve tempo de resgatar o feto e completar a gestação de Dionisos dentro da sua coxa. Os tebanos interpretaram esta morte trágica como um castigo divino por Semele ter cometido blasfémia ao insinuar que se tinha deitado com Zeus.
A peça de teatro começa com Dionisos, feito homem em carne, dirigindo-se a Tebas para vingar a memória de sua mãe e para exigir devoção. As autoridades desprezaram-no, mas as mulheres de Tebas acolheram-no, juntando-se às bacantes, as seguidoras de Dionisos, para se entregarem a cultos lascivos (bacanais) dedicados ao deus do vinho, no monte Citéron. 
Este culto lascivo do vinho, causa apreensão aos opositores a Dionisos, principalmente ao rei Penteu - neto do velho rei Cadmo, filho de Agave, irmã de Semele - pela forma como desencaminha as mulheres. 
Tirésias, um convertido ao culto de Dionisos, diz a Penteu que as coisas principais para o homem são: o alimento seco e o vinho, oferecidos pela deusa Deméter e por Dionisos respectivamente. O velho rei Cadmo, também convertido, concorda com Tirésias e tenta aplacar o seu neto Penteu.
Penteu, intransigente, não acredita que Dionisos seja um deus, dá ordens aos guardas para capturarem o líder do culto. 
O guarda que traz Dionisos preso, conta a Penteu que Dionisos entregou-se amavelmente estendendo os braços para ser amarrado sem resistência. Conta ainda que algumas bacantes que tinham sido anteriormente presas escaparam-se aos grilhões e à prisão, porque as “portas foram abertas sem que nenhuma mão humana lhes tocasse”, e que voltaram ao culto do deus Dionisos.
Dionisos, levado à presença do rei, zomba de Penteu, dizendo-lhe que, por ser filho de Zeus, nenhuma prisão o consegue deter. Depois de uma prolongada contenda verbal, Penteu ordena que o prisioneiro seja acorrentado e lançado no cárcere. Dionisos invoca as bacantes e, então, um terramoto abala Tebas, destruindo o Palácio de Penteu, libertando de imediato Dionisos das suas correntes
Um mensageiro, que tinha observado os rituais lascivos, dirigiu-se ao rei Penteu para lhe contar o que viu. Contou ao rei que viu a sua mãe, a princesa Agave, com as bacantes. 
Penteu enfurece-se e ordena que os guardas façam uma incursão ao monte Citéron para reprimir as bacantes, responsáveis, segundo ele, pelo terramoto. Dionisos reaparece-lhe para o dissuadir e convence-o a ir verificar por ele mesmo as liturgias bacantes no monte Citéron. 
Penteu, curioso, aceita. Dionisos, entretanto, impõe-lhe uma condição: deveria ir disfarçado de mulher com uma farta cabeleira e uma roupa de pele de veado. Penteu, então, saíu do seu semidestruído palácio e, com sintomas de embriaguez, não percebeu a armadilha que o esperava. 
Ao chegar ao monte, Penteu é preso num pinheiro para ser castigado pelas bacantes com pedras e dardos. Agave, a própria mãe, embriagada, não reconhecendo o filho porque pensa que se trata de um leão (por causa da cabeleira que parecia uma juba e por estar coberto por pele de animal), sugere que o pinheiro seja cortado para poderem punir o intruso e cortarem-lhe a cabeça. 
Agave, ainda embriagada, retorna a Tebas exibindo a cabeça do filho como troféu, exige a presença de Penteu para que ele exponha a cabeça no alto das muralhas de Tebas. 
O velho rei Cadmo também volta para a cidade e depara-se com aquele quadro desolador da sua filha a segurar a cabeça do seu neto, o que significava o fim da linhagem dos reis de Tebas. Tudo isto porque Dionisos não perdoara os maus-tratos, as humilhações e os ultrajes sofridos nas mãos de Penteu.

Temos aqui uma tragicomédia grega, uma das mais populares desde que foi escrita, sobre o deus do vinho, Dionisos, deus feito homem, filho de Zeus. Este deus tem muitas mulheres como seguidoras fiéis. Para alem das passagens paralelas com Actos dos Apóstolos, já referidas, isto não faz lembrar mais nada?
  
Dionisos, em “As Bacantes”
Jesus, nos evangelhos
Dionisos é filho de Zeus e de uma mulher
Jesus é filho de Deus e de uma mulher
Dionisos é o deus do vinho e das vinhas
Jesus faz inúmeras referências ao vinho, às vinhas e às uvas;
Dionisos anda rodeado pelas suas seguidoras as bacantes e outras mulheres
Jesus anda rodeado de mulheres que são discípulas mais fiéis que os homens
Um seguidor de Dionísio diz que o importante para o homem é o alimento seco e o vinho.
Jesus diz que é o pão e o vinho.
Dionisos entrega-se amavelmente sem resistência
Jesus entrega-se sem resistência na noite da sua captura
Dionisos é interrogado pelo rei Penteu
Jesus é interrogado por Pilatos



Esta peça de teatro foi escrita por volta de 406 AEC, por Eurípedes. Portanto foi escrita uns bons séculos antes dos evangelhos e de Actos dos Apóstolos!




10 comentários:

  1. Toda a gente sabe que Jesus não é filho de Zeus, porque Zeus é um deus falso.
    Como é que alguém pode ser filho de um deus falso?

    ResponderExcluir
  2. devia saber que deus não existe, provem apenas das tradições narrativas, teatrais e literárias da antiguidade, latino-grego que chegou até nos por meio dos romanos..
    A biblia é mais uma recriação de mitos e lendas presentes na antiguidade...

    ResponderExcluir
  3. Que legal, como você descobriu que Deus não existe????? kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  4. "Dionisos é o deus do vinho e das vinhas X
    Jesus faz inúmeras referências ao vinho, às vinhas e às uvas;"
    Se isso não é forçar um texto é o que? Seguindo esta lógica absurda qualquer um que citar algo de medicina passa a ser médico. ahahahah

    ResponderExcluir
  5. Dionisos é o deus do vinho e das vinhas Vs Jesus faz inúmeras referências ao vinho, às vinhas e às uvas;
    Seguindo esta lógica, se eu fizer inúmeras referências sobre reações químicas isso faz de mim um químico, e se eu fizer cometários sobre saúde? Posso ser considerado um médico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As referencias de Jesus ao vinho e à vinhas são só uma pequena parte de um conjunto de semelhanças entre o Jesus dos evangelhos e Dionísio da peça de teatro "As Bacantes".

      Seguindo a sua lógica, e você fizer comentários sobre saúde, atender doentes, receitar medicamentos, muito provavelmente você é um médico ou pode ser alguém que quer fingir ser médico.

      Saudações

      Excluir
  6. JEsus existe. mais o satanas não quer que o povo vai saber a verdade

    ResponderExcluir
  7. A primeira referência que usas de Atos, é na verdade alusão a profecia do antigo testamento, e não tem nada a ver com a associação feita. As únicas palavras pra esse trabalho é desrespeito, estupidez e idiotice, porque faz associação sem nexo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa referência é relevante, pois Jesus, tal como Diónisos, entrega-se ao seu captor com mansidão e sem oposição.
      O autor de Actos conseguiu, assim, juntar a tradição grega com a tradição judaica citando, para isso, o Antigo Testamento (Isaías 53:7)

      Excluir
  8. oooooooooooooi Lukaaaaas

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...