domingo, 24 de fevereiro de 2013

Paulo - Introdução Sobre as Cartas




São treze as cartas do Novo Testamento tradicionalmente atribuídas a Paulo, porque todos estes textos têm uma abertura com o nome “Paulo”. No quadro seguinte apresentam-se estas cartas pela possível ordem cronológica de escrita e não pela ordem de disposição no Novo Testamento.


Carta
Data (EC)
Classificação
Observações
1 Tessalonicenses
50-51
Reconhecidamente genuinas e pertencentes a Paulo.
Provavelmente escrita uns meses depois de ter fundado a igreja de Tessalónica, capital da Macedónia, excepto alguns versículos que podem ter sido uma inserção posterior.

Filipenses
54-55
Dirigida à igreja de Filipos, na Macedónia, é possível que tenha sido o resultado da fusão de duas ou mais cartas.

Gálatas
54-55
Estas quatro cartas são consideradas as principais e são consideradas como autênticas. No entanto, a avaliar pela sua extensão e conteúdo, cada uma pode ser o resultado da composição de várias cartas.
O autor ensina principalmente sobre a desvinculação em relação às leis dos judeus. Parece uma arrumação temática em torno de uma carta.

1 Coríntios
55-56
Nesta carta há referência a uma carta anterior que não sobreviveu.

2 Coríntios
50-60
O autor descreve uma carta anterior que não se enquadra no conteúdo de 1ª Coríntios, por isso esta seria a terceira carta ou posterior.

Romanos
56-57 EC
A extensão desta carta parece incomportável para uma única peça de correspondência.

Filemon
50-60
Carta pessoal, considerada como autêntica.
É uma curta carta de âmbito pessoal que quase não contém doutrina.

Colossenses
50-80
O autor certamente não foi Paulo, porque falta o estilo e calor pessoal que se encontram nas anteriores.
É possível que tenha sido escrita por um sucessor de Paulo tendo por base algum material autêntico, como Filemon.

2 Tessalonicenses
80-100
Provavelmente foi escrita com o intuito de substituir a primeira, 1ª Tessalonicenses, a genuína.

Efésios
80-100
Provavelmente o autor desta carta tinha a ambição de reescrever Colossenses.

1 Timóteo
140-150
Cartas pastorais, consideradas como tendo sido escritas por sucessores de Paulo.
Certamente escritas com falsificação de identidade, pois não eram conhecidas por Marcion de Sínope em 140 EC.

2 Timóteo
140-150
Tito
140-150


Temos portanto as seguintes classificações para as cartas:

-          sete autênticas: a maior parte do conteúdo pode ser atribuída a Paulo, embora a sua arrumação possa ser um trabalho posterior;

-          três duvidosas: podem conter algum conteúdo original de Paulo, mas é provável que contenham demasiado conteúdo cujo autor não foi Paulo;

-          outras três cartas, as pastorais, que certamente não foram escritas por Paulo.


A grande extensão de algumas cartas bem como abruptas mudanças de assunto e contexto, indiciam que as cartas autênticas de Paulo no Novo Testamento constituam mais de sete peças de correspondência.

Algumas denominações atribuem ainda a autoria da Carta aos Hebreus a Paulo, embora o seu nome não conste na abertura do texto.


2 comentários:

  1. As cartas consideradas originais não foram escritas por Paulo, mas pelo autor de Paulo, um autor desconhecido como os demais livros bíblicos que não possuem autores. As cartas consideradas originais o são por terem sido escritas pelo tal autor desconhecido, as demais por outros autores também desconhecidos, talvez escritas pelos copistas da Igreja.

    ResponderExcluir
  2. É possível que as cartas consideradas autênticas tenham sido ditadas por Paulo a um escriba.

    Nota-se bastante teor emocional nos textos - revelando pouco trabalho de elaboração dos mesmos e alguma espontaneidade.

    Textos muito trabalhados ficam "frios", desprovidos de sentimentos, mas as cartas de Paulo revelam algumas emoções do autor.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...