domingo, 27 de novembro de 2016

Rolos do Mar Morto - Antigo Testamento



Qumran - relação com o Antigo Testamento (Tanakh)

Antes da descoberta dos Rolos do Mar Morto, os mais antigos manuscritos do Antigo Testamento, que eram utilizados para as traduções modernas da Bíblia, datavam de 895 EC (texto Massorético).

Com a descoberta de Qumran, a lista de fontes princpais para as traduções modernas do Antigo Testamento passou a ser a seguinte (por ordem cronológica dos respectivos textos):
-     Septuaginta (ou versão LXX) - foi uma tradução grega do Antigo Testamento que surgiu no século III AEC, em Alexandria (uma cidade do Egipto que tinha uma grande população judaica de língua grega); o nome advém da tradição que diz que foram 72 sábios, a pedido do rei Ptolomeu II Filadelfo (309 - 246 AEC), que traduziram os textos para o grego;

-     os Rolos do Mar Morto (Qumran), contendo manuscritos do Tanakh (Antigo Testamento), em hebraico, com data de composição por volta do século I AEC;

-     as traduções para o Latim só foram oficializadas a partir do século IV EC, com a introdução da Vulgata Latina por Jerónimo, que já incluía o Novo Testamento;

-    o texto Massorético - corresponde à versão oficial, em hebraico, copiada segundo regras rígidas; mas, embora sendo o hebraico a língua original da maior parte dos livros do Antigo Testamento, esta corrente de cópias só se formou a partir do século IX EC e não é claro quais foram as fontes iniciais para esta.


A descoberta dos Rolos do Mar Morto levantou importantes questões sobre a integridade do texto Massorético. Uma vez que a tradição atribuia ridiculamente a autoria de alguns livros do Antigo Testamento a partir do século XV a.C., a fé na inerrância bíblica requeria crer que escribas, de alguma forma, tinham copiado esses livros durante mais de 2000 anos sem incorporar erros significativos.

Sendo algo difícil de aceitar, a inerrância bíblica perdeu muitos seguidores. Cristãos mais liberais começaram a pensar a Bíblia como um livro sagrado cujas ideias foram divinamente inspiradas mas não necessariamente as palavras exactas, nem sequer as palavras escritas nos há muito desaparecidos textos originais.

Já eram conhecidas as diferenças entre o texto da Septuaginta (texto grego do século III a.C.) Massorético (texto hebraico do século IX d.C.). Desde há muito tempo que os tradutores modernos da Bíblia adoptaram a versão Massorética, assumindo que a Septuaginta não era adequada uma vez que, apesar de ser mil anos mais antiga, tratava-se de uma tradução para outra língua (a grega) e não uma cópia do texto “original” em hebraico.

Isaías de Qumran confirma, apenas em parte, o texto Massorético

Com a descoberta dos Rolos do Mar Morto, os defensores da doutrina da inerrância bíblica pensaram ter, inicialmente, razões para rejúbilo. Na primeira gruta foi encontrado o manuscrito do Livro de Isaías quase intacto. Apesar de muitas variações na ortografia, o conteúdo do rolo de Qumran foi coniderado notavelmente paralelo ao texto Massorético de 895 EC. Tradutores da Revised Standard Version em 1952 encontraram apenas 13 diferenças textuais no manuscrito que eles consideram importante o suficiente para afectar a sua tradução de Isaías. Quando os académicos dataram o manuscrito em cerca de 100 a.C., os fundamentalistas bíblicos acreditavam ter encontrado no texto de Qumran de Isaías a prova indiscutível de que, através dos séculos longos e silenciosos, os escribas judeus haviam sido escrupulosamente fiéis na transmissão de seus livros sagrados. Afinal, se mil anos não tivessem trazido mudanças significativas ao texto de Isaías, não poderíamos acreditar que o mesmo era verdade para os outros livros do Antigo Testamento?

Mas mesmo o livro de Isaías apresenta alguns problemas quer com tradução incompetente para as linguas modernas quer com a irresponsável escolha do texto Massorético para a tradução do Antigo Testamento.

Os autores do Novo Testamento, há cerca de 2000 anos, utilizaram a Septuaginta em cada citação do Tanakh (Antigo Testamento). Por exemplo, em Mateus 15:8-9, o autor citou o texto de Isaías 29:13 a partir da Septuaginta (naquele tempo ainda não existia a versão Massorética):

Mateus 15:8-9
Este povo honra-me com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens.

Esta passagem é importante para as Igrejas afirmarem qual é fonte de autoridade da doutrina cristã. O problema é que a citação aproxima-se de Isaías da Septuaginta, mas difere da versão Massorética.
Comparemos a versão Septuaginta que serviu de base ao autor de Mateus, com a versão Massorética:

Isaías 29:13 (Septuaginta)
Isaías 29:13 (Massorética)
E o Senhor disse: Este povo se aproxima de mim com a sua boca, e eles me honram com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim; mas em vão me adoram, ensinando os mandamentos e as doutrinas dos homens
Porque o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim e, com a boca e com os lábios, me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, em que foi instruído;

Na versão Septuaginta, o povo instrui deliberadamente doutrinas humanas. Na versão Massorética, o povo simplesmente foi mal instruido e conhece "Deus" da forma errada.


Outros livros confirmam Septuginta e lançam dúvida sobre Massorético

A relativa fidelidade do texto Massorético de Isaías face à versão do Mar Morto seria um argumento impressionante a favor da inerrância bíblica se não fosse pelas descobertas subsequentes que foram feitas noutras cavernas de Qumran, sobre as quais os que apoiam este argumento têm sido muito relutantes em falar.
Na Caverna 4, muitos textos bíblicos fragmentários foram recuperados, cobrindo todos os livros do cânone hebraico, excepto Ester e Neemias. Estes fragmentos da Caverna 4 revelaram uma história diferente sobre a cópia e transmissão de escritos do Antigo Testamento. Em alguns casos, especialmente 1-2 Samuel, Jeremias e Êxodo, os fragmentos trouxeram à luz formas ou revisões de livros bíblicos que diferiam da tradição medieval Massorética, mas que condiziam com a Septuaginta.

Esta "história diferente" contada pelas descobertas na Caverna Quatro em Qumran é uma história sobre a qual os inerrantistas bíblicos têm sido notavelmente silenciosos, provavelmente porque afasta a tese de que "escribas escrupulosamente meticulosos que contaram todas as letras nas cópias que fizeram certificando-se de que não houve erros". As descobertas da Caverna 4 mostram não só que erros foram feitos, mas também que as mudanças textuais foram feitas com provável intenção.

Salmos

O autor de "Carta aos Hebreus" citou Salmos:
Hebreus 10:5-7
... Sacrifício e oferta não quiseste, mas corpo me preparaste; holocaustos e oblações pelo pecado não te agradaram. Então, disse: Eis aqui venho (no princípio do livro está escrito de mim), para fazer, ó Deus, a tua vontade.

Salmos 40:6-8 (Septuaginta)
Salmos 40:6-8 (Massorética)
Sacrifício e oferta não quiseste; Mas me preparaste um corpo: holocausto e sacrifício por causa do pecado não o exigiste. Então eu disse: Eis que venho; no rolo do livro está escrito a meu respeito, desejei fazer a tua vontade, ó Deus meu, ...
Sacrifício e oferta não quiseste; os meus ouvidos abriste; holocausto e expiação pelo pecado não reclamaste. Então disse: Eis aqui venho; no rolo do livro está escrito de mim: Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; ...


Onde está a parte "mas corpo me preparaste" na versão Massorética? 

Jeremias

O livro de Jeremias de Qumran, muito semelhante ao texto da Septuaginta, apresenta muitas diferenças em relação ao texto Massorético (e todas as traduções modernas do Antigo Testamento). A versão Massorética apresenta texto adicional – secções completas de texto – e apresenta uma ordenação diferente de algumas porções do texto.

Vejamos as secções de texto que foram acrescentadas à versão Massorética (da qual quase todas as traduções da Bíblia dependem):

Cap. / Versic.
Texto Adicionado ao Massoretico
25:14
14 Porque também deles se servirão muitas nações e grandes reis; assim lhes retribuirei segundo os seus feitos e segundo as obras das suas mãos.
27:1,7,13,17,21
1 No princípio do reinado de Zedequias, filho de Josias, rei de Judá, veio, da parte do Senhor, esta palavra a Jeremias, dizendo:
7 E todas as nações servirão a ele, e a seu filho, e ao filho de seu filho, até que também venha o tempo da sua própria terra, quando muitas nações e grandes reis se servirão dele.
13 Por que morrerias tu e o teu povo à espada, e à fome, e de peste, como o Senhor disse da gente que não servir ao rei da Babilônia?
17 Não lhes deis ouvidos, servi ao rei da Babilônia e vivereis. Por que se tornaria esta cidade um deserto?
21 Assim, pois, diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel, acerca dos utensílios que ficaram na Casa do Senhor, e na casa do rei de Judá, e em Jerusalém:
29:16-20
16 Porque assim diz o Senhor a respeito do rei que se assenta no trono de Davi e de todo o povo que habita nesta cidade, vossos irmãos, que não saíram convosco para o cativeiro. 17 Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eis que enviarei entre eles a espada, e a fome, e a peste e fá-los-ei como a figos podres, que não se podem comer, de maus que são. 18 E persegui-los-ei com a espada, e com a fome, e com a peste; dá-los-ei para andarem de um lado para outro entre todos os reinos da terra e para serem uma maldição, e um espanto, e um assobio, e um opróbrio entre todas as nações para onde os tiver lançado; 19 porquanto não deram ouvidos às minhas palavras, diz o Senhor, enviando-lhes eu os meus servos, os profetas, madrugando e enviando; mas vós não escutastes, diz o Senhor. 20 Vós, pois, ouvi a palavra do Senhor, todos os do cativeiro que enviei de Jerusalém para a Babilônia.
30:10,11,15,22
10 Não temas, pois, tu, meu servo Jacó, diz o Senhor, nem te espantes, ó Israel; porque eis que te livrarei das terras de longe, e a tua descendência, da terra do seu cativeiro; e Jacó tornará, e descansará, e ficará em sossego, e não haverá quem o atemorize.
11 Porque eu sou contigo, diz o Senhor, para te salvar, porquanto darei fim a todas as nações entre as quais te espalhei; a ti, porém, não darei fim, mas castigar-te-ei com medida e, de todo, não te terei por inocente.
15 Por que gritas em razão de teu quebrantamento? Tua dor é mortal. Pela grandeza de tua maldade e pela multidão de teus pecados, eu fiz estas coisas.
22 E ser-me-eis por povo, e eu vos serei por Deus.

33:14-26
14 Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que cumprirei a palavra boa que falei à casa de Israel e à casa de Judá. 15 Naqueles dias e naquele tempo, farei que brote a Davi um Renovo de justiça, e ele fará juízo e justiça na terra. 16 Naqueles dias, Judá será salvo, e Jerusalém habitará seguramente; e este é o nome que lhe chamarão: O Senhor É Nossa Justiça.

17 Porque assim diz o Senhor: Nunca faltará a Davi varão que se assente sobre o trono da casa de Israel, 18 nem aos sacerdotes levíticos faltará varão diante de mim, para que ofereça holocausto, e queime oferta de manjares, e faça sacrifício todos os dias. 19 E veio a palavra do Senhor a Jeremias, dizendo: 20 Assim diz o Senhor: Se puderdes invalidar o meu concerto do dia, e o meu concerto da noite, de tal modo que não haja dia e noite a seu tempo, 21 também se poderá invalidar o meu concerto com Davi, meu servo, para que não tenha filho que reine no seu trono, como também com os levitas sacerdotes, meus ministros. 22 Como não se pode contar o exército dos céus, nem medir-se a areia do mar, assim multiplicarei a descendência de Davi, meu servo, e os levitas que ministram diante de mim.

23 E veio ainda a palavra do Senhor a Jeremias, dizendo: 24 Não tens visto o que este povo fala, dizendo: As duas gerações que o Senhor elegeu, agora as rejeitou? E desprezam o meu povo, como se não fora já um povo diante deles. 25 Assim diz o Senhor: Se o meu concerto do dia e da noite não permanecer, e eu não puser as ordenanças dos céus e da terra, 26 também rejeitarei a descendência de Jacó e de Davi, meu servo, de modo que não tome da sua semente quem domine sobre a semente de Abraão, Isaque e Jacó; porque removerei o seu cativeiro e apiedar-me-ei deles.
39:4-13
4 E sucedeu que, vendo-os Zedequias, rei de Judá, e todos os homens de guerra, fugiram, então e saíram de noite da cidade, pelo caminho do jardim do rei, pela porta dentre os dois muros; e saiu pelo caminho da campina. 5 Mas o exército dos caldeus os perseguiu; e alcançaram Zedequias nas campinas de Jericó, e o prenderam, e o fizeram ir a Nabucodonosor, rei da Babilônia, a Ribla, na terra de Hamate, e ali o rei da Babilônia o sentenciou. 6 E o rei da Babilônia matou os filhos de Zedequias em Ribla, à sua vista; também matou o rei da Babilônia todos os nobres de Judá. 7 E arrancou os olhos a Zedequias e o atou com duas cadeias de bronze, para levá-lo à Babilônia.

8 E os caldeus queimaram a casa do rei e as casas do povo e derribaram os muros de Jerusalém. 9 E o resto do povo que ficara na cidade, e os rebeldes que se tinham passado para ele, e o resto do povo que ficou levou Nebuzaradã, capitão da guarda, para Babilônia. 10 Mas os pobres de entre o povo, que não tinham nada, deixou Nebuzaradã, capitão da guarda, na terra de Judá; e deu-lhes vinhas e campos naquele dia.

11 Mas Nabucodonosor, rei da Babilônia, havia ordenado acerca de Jeremias, a Nebuzaradã, capitão dos da guarda, dizendo: 12 Toma-o, e põe sobre ele os olhos, e não lhe faças nenhum mal; antes, como ele te disser, assim procederás para com ele. 13 Deste modo, Nebuzaradã, capitão dos da guarda, ordenou a Nebusazbã, Rabe-Saris, Nergal-Sarezer, Rabe-Mague e todos os príncipes do rei da Babilônia.
46:1,26
1 Palavra do Senhor que veio a Jeremias, o profeta, contra as nações.
26 E os entregarei nas mãos dos que procuram a sua morte, nas mãos de Nabucodonosor, rei da Babilônia e nas mãos dos seus servos; mas, depois, será habitada como nos dias antigos, diz o Senhor.
48:45-47
45 Os que fugiam ficaram sem força e pararam à sombra de Hesbom; mas fogo saiu de Hesbom, e a labareda, do meio de Seom, e devorou o canto de Moabe e o poder dos turbulentos. 46 Ai de ti, Moabe! Pereceu o povo de Quemós, porque teus filhos ficaram cativos, e tuas filhas, em cativeiro.
47 Mas farei voltar os cativos de Moabe no último dos dias, diz o Senhor. Até aqui o juízo de Moabe.


Para Concluir

A versão Septuaginta, que tinha sido rejeitada por não ser hebraica, acaba por revelar-se ser mais semelhante à versão encontrada em Qumran do que a Massorética. Afinal, isto seria de esperar, porque apesar de escritas em línguas diferentes, a versão Septuaginta e a de Qumran pertencem quase à mesma época, enquanto a Massorética é posterior em cerca de mil anos.

Os autores do Novo Testamento (evangelhos, epístolas e outros textos) utilizaram a versão Septuaginta como referência às suas citações do Antigo Testamento.


Referências:
  - https://www.ccel.org/bible/brenton/Jeremiah/appendix.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...