domingo, 30 de setembro de 2012

Os judeus do primeiro século





Os judeus do primeiro século

Algumas seitas, grupos ou partidos de judeus são referidos no Novo Testamento ou por cronistas do primeiro século:
-          os saduceus eram os mais ortodoxos, exigindo o cumprimento rigoroso da Lei Escrita (tudo o que estava escrito na Torah, por exemplo, o olho-por-olho, dente-por-dente...) e não criam em inovações como a imortalidade da alma ou a ressurreição; os saduceus eram defensores da classe sacerdotal hereditária, ou seja, defendiam que o cargo de sumo-sacerdote passasse de pai para filho e que o sumo-sacerdote acumulasse o poder administrativo como no tempo dos Asmoneus;

-          os fariseus faziam uma interpretação da Lei Escrita moderada por uma Tradição Oral (mais tarde essa tradição oral foi registada no Talmude); criam na ressurreição e grande parte da sua filosofia deu origem à cultura rabínica; o seu sistema de crenças era de tal modo semelhante aos propagados por Jesus nos evangelhos, que as frequentes discussões entre este e os fariseus parecem absurdas;

-          os zelotes formavam um partido político que pretendia guerra aberta contra a ocupação romana ou contra qualquer forma de governo que considerassem subserviente dos romanos; em 66 EC fomentaram a Grande Revolta Judaica; segundo Flávio Josefo este grupo foi originado por Judas da Galiléia, que promoveu uma significativa revolta contra os romanos em 6 EC;

-          os essénios, que se centravam em comunidades fechadas em que os membros abdicavam das suas propriedades privadas, entregando-as ao grupo; as suas crenças incluíam a imortalidade da alma.


Idioma

O idioma mais popular entre os judeus da Palestina do primeiro século era, desde a invasão assíria do século VIII AEC, o aramaico. Os autores dos evangelhos do Novo Testamento fizeram a transliteração em grego de palavras e pequenas frases supostamente articuladas por Jesus em aramaico.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...